terça-feira, 10 de abril de 2018

Um grupo buscando caminhos



Escrituração contábil: entenda sua importância e quais as vantagens

Escrituração contábil: entenda sua importância e quais as vantagens
A escrituração contábil é a técnica de registrar dados em livros, os quais devem ser gerenciados por profissionais capacitados. Esse procedimento é regido por normas que constam no Código Civil, na Legislação Tributária, nas Normas Brasileiras de Contabilidade e em outras leis esparsas.
Sendo assim, todas as empresas precisam entender a necessidade de realizar o processo de escrituração contábil com a ajuda de um especialista no assunto. E, pelo mesmo motivo, não há como gerenciar um empreendimento sem ter os registros de patrimônio arquivados desde o início.
Veja, a seguir, algumas informações importantes sobre os benefícios da escrituração contábil:
A importância de controlar o patrimônio
Controlar o patrimônio da empresa por meio de técnicas de gestão tributária é de extrema importância, visto que uma entidade sem setor de contabilidade fiscal não tem como manter os registros de gastos, dos lucros e dos bens pertencentes ao empreendimento.
Por isso, é muito importante que a empresa tenha um setor responsável pela escrituração contábil, pois ele funcionará como um instrumento de defesa, de prevenção e de controle de patrimônio.
Os reflexos do controle financeiro
Um dos principais benefícios que a instituição pode ter aplicando o procedimento de escrituração é o de ter maior controle financeiro e econômico de seu negócio. Todos os registros anteriores servirão para informar em que estágio financeiro a empresa se encontra.
Também poderá ser identificado qualquer gargalo financeiro e gastos desnecessários com questões tributárias ou até mesmo com a folha de pagamento.
A obrigatoriedade da escrituração contábil
O artigo nº 1.179 da lei nº 10.406/2002, prevista no Novo Código Civil Brasileiro, é clara quando diz que
O empresário e a sociedade empresária são obrigados a seguir um sistema de contabilidade, mecanizado ou não, com base na escrituração uniforme de seus livros, em correspondência com a documentação respectiva, e a levantar anualmente o balanço patrimonial e o de resultado econômico.
Portanto, não deixe de efetuar a gestão fiscal em sua empresa.
Os diferentes métodos de escrituração
Existem alguns métodos para realizar a escrituração. Por exemplo:
  • MÉTODO DE PARTIDA SIMPLES: No método de partida simples os eventos são registrados em controles externos à contabilidade. Ele é nomeado dessa forma porque em uma transação é considerado apenas o débito ou o crédito ocorrido no fato. Por conta desses e outros fatores, o método de partida simples é considerado menos completo e eficiente na informação dos dados contábeis.
  • MÉTODO DE PARTIDA DOBRADA – O método das partidas dobradas possui uma regra fundamental: para cada débito existe um crédito correspondente. Contudo, isso não quer dizer que um fato contábil envolve apenas um débito e um crédito, ele também pode envolver vários débitos e créditos num mesmo evento. O importante neste método é que a soma dos débitos é igual à soma dos créditos. Esse princípio determina a equação dos demonstrativos contábeis.
A importância de profissionais qualificados
Contratar profissionais qualificados para efetuar a escrituração contábil é um dos quesitos mais importantes para realizar os procedimentos corretos. Eles são responsáveis por avaliar erros e até mesmo adequar a maneira de fazer a folha de pagamento, Sped contábil, planejamento tributário, fluxo de caixa, gestão fiscal… Enfim, tudo que esteja ligado à contabilidade.
Os Documentos Essenciais para Realização da Escrituração Contábil
A base dos registros contábeis é a documentação, sendo assim, para realizar a escrituração contábil é necessário reunir toda a documentação econômica e financeira da empresa, dentre as quais pode-se destacar:
  • Notas Fiscais de entradas e saídas (venda e compra);
  • Informações relativas a aquisição de imobilizado, tais como: NF aquisição veículos, máquinas, equipamentos, escrituras e contratos de compra e venda de imóveis, etc;
  • Financiamentos ou Empréstimos que a empresa venha a contrair com alguma instituição financeira, bem como seus pagamentos;
  • Extratos bancários (conta corrente e aplicação financeira) mensais de toda movimentação financeira da empresa;
  • Despesas mensais da empresa: recibos de luz, água, telefone, aluguel, fretes, folhas de pagamento dos funcionários, combustível, conservações e reparos, entre outras despesas que venham a ocorrer na empresa;
  • Impostos e contribuições pagos.
Os Destaques da Escrituração Contábil (Demonstrativos Contábeis mais usuais)
Por meio da escrituração contábil é possível elaborar alguns demonstrativos contábeis que possibilitam maiores analises da empresa, dentre tais demonstrações destaca-se o Balanço Patrimonial e Demonstração de Resultado do Exercício (DRE). Ambos são obrigatórios e apresentam uma forma simples de analisar o estado “saúde” da empresa. O Balanço Patrimonial apresentada na forma quantitativa e qualitativamente, em determinado momento, o patrimônio da entidade. A Demonstração do Resultado do Exercício evidencia o resultado da empresa (se ela apresentou lucro ou prejuízo).
Além desses demonstrativos, pode-se destacar: A Demonstração do Fluxo de Caixa (DFC) que evidencia as saídas e entradas de recursos na empresa; A Demonstração da Mutação do Patrimônio evidencia a movimentação de todas as contas do patrimônio líquido durante o exercício social, inclusive a formação e utilização das reservas não derivadas do lucro.
As facilidades da escrituração contábil digital
Com o avanço da tecnologia e da era digital, mudanças de procedimentos vêm ocorrendo nas empresas. Novos softwares de gestão para fins fiscais e previdenciários foram criados, e entre eles está a Escrituração Contábil Digital (ECD).
Esse sistema serve para repassar ao governo todas as informações da escrituração de uma empresa e facilita muito a vida de gestores e de pessoas que trabalham em setores fiscais das organizações.
As vantagens da escrituração contábil
Adotar o procedimento de escrituração contábil, com certeza, só traz vantagens a todas as empresas. Uma delas é que, no caso de a empresa enfrentar problemas financeiros, os empreendedores podem solicitar o benefício da recuperação administrativa e judicial.
Outro privilégio é o de ter segurança em ações trabalhistas, sem contar que muitos outros benefícios podem ser exigidos se todos os trâmites da escrituração estiverem em dia.
As desvantagens de não ter escrituração
A princípio, o processo de escrituração contábil parece ser trabalhoso, mas é simples para profissionais capacitados, e a sua falta pode acarretar muitas desvantagens aos empresários.
Certamente, deixar de fazer os registros vai colocar em risco a rentabilidade e, inclusive, a sobrevivência do empreendimento. Não vale a pena correr riscos desnecessários, por isso, fique atento aos mínimos detalhes e conscientize a sua equipe de trabalho de que esse procedimento deve ser realizado minuciosamente, sem erros.
Conforme citamos acima, as vantagens de efetuar a escrituração contábil em sua empresa são muitas. Portanto, é interessante que o profissional a realizar esses procedimentos na sua empresa tenha conhecimentos de contabilidade gerencial.
Dessa forma, tudo será registrado de maneira correta e seu empreendimento estará amparado por lei, não tendo, assim, que haver preocupação com questões futuras, contra as quais estará protegido.
Gostou de nossas dicas sobre escrituração contábil? Siga-nos nas redes sociais e aprenda muito mais sobre procedimentos indispensáveis na área de contabilidade.

AS oportunidades chegam porque trabalhamos por elas. Ninguém faz tudo sozinho, precisamos atribuir aos parceiros de jornada, aos que trabalham sem receber ou recebendo muito pouco porque acreditam, seus méritos e sua participação quando obtemos algum resultado. Sonhos se constroem. Excluir nossos parceiros de jornada quando se acredita que chegamos lá, é digno de pena, é lamentável.

sexta-feira, 23 de março de 2018

Estudantes do ensino médio desenvolvem método para purificar água no semi-árido

Os estudantes representaram o Brasil no Prêmio Jovem da Água de Estocolmo em 2017Divulgação
Um grupo de estudantes de Campinas, no interior paulista, desenvolveu um método de baixo custo para tratar água de cisternas no semi-árido brasileiro. O sistema, desenvolvido por três alunos da Escola Técnica Estadual (Etec) Bento Quirino, produz cloro a partir da eletrólise – processo químico feito com eletricidade – de uma solução de água com sal. O protótipo prevê ainda o uso de energia solar para o processo, contemplando comunidades que não só dependem da água da chuva, mas que também não tem acesso ao fornecimento de eletricidade.
A ideia foi premiada, no ano passado, pelo Prêmio Jovem da Água de Estocolmo, levando Beatriz Ruscetto da Silva, Matheus Henrique Cezar da Silva e Gabriel Gertrudes Trindade para conhecer a capital da Suécia. Lá, eles tiveram a oportunidade de conhecer projetos semelhantes de todo o mundo, além de ouvir opiniões qualificadas sobre a própria proposta. “Foi surreal, até hoje parece que foi só um sonho. Nenhum de nós três já tinha viajado de avião e nessa viagem ficamos mais de 10 horas no avião. O pessoal da organização do prêmio nos tratou muito bem, com muito amor e até hoje somos amigos desse pessoal”, lembra Beatriz sobre a experiência.
Durante a viagem, o grupo teve a oportunidade de conhecer projetos de outros países e se impressionou com o que foi desenvolvido pelos norte-americanos Ryan Thorpe e Rachel Chang. O sistema elaborado pelos estudantes identifica na água as bactérias sighella, da cólera e da salmonela, mais rápido do que os métodos convencionais e também permite a eliminação imediata dos micro-organismos.
Foi o contato com outro projeto, de um colega de classe, que deu início ao desenvolvimento do STAC-IBR, que ganhou o prêmio sueco. “A ideia nasceu graças ao projeto do nosso amigo Lucas Gabriel: ele fazia eletrólise mas descartava o gás cloro. Pensamos logo em como utilizar o cloro da eletrólise. A primeira ideia foi em tratar água. A partir daqui começamos a pesquisar como isso seria feito e para quem seria feito”, conta a estudante.

Desafios
Para conseguir desenvolver o protótipo, os estudantes do curso técnico em eletrônica tiveram que investir em conhecimentos fora das disciplinas convencionais. “Não foi nada fácil”, enfatiza Beatriz. “Tivemos que aprender química em pouco tempo. Antes do projeto nunca havíamos entrado em um laboratório de química, aprendemos muito”.
O novo desafio envolveu também o estudo das condições atmosféricas. “Tivemos dificuldade nos testes porque não chovia muito e precisávamos da água da chuva. Outra dificuldade foi estar em São Paulo e fazer um projeto inteiramente dedicado ao Nordeste brasileiro”, comenta.
Apesar da premiação, o projeto ainda precisa ser testado no local para passar pelos ajustes necessários à implantação. Segundo Beatriz, seria importante, por exemplo, verificar a fixação do equipamento no solo. “E se as altas temperaturas influenciariam muito no processo e, principalmente, como a população se adaptaria”, enumera.
Mas agora que deixaram o ensino médio e entraram no superior, os estudantes têm menos tempo para dedicar ao projeto e tentar viabilizar o uso prático do equipamento. “Como o projeto começou durante o ensino médio, ficávamos o dia todo juntos. Agora cada um está em uma universidade diferente, atrás de trabalho. Os encontros diminuíram”, conta Beatriz, que agora estuda na Faculdade de Química na Pontifícia Universidade Católica de Campinas.
Prêmio em 2018
Para a edição deste ano do Prêmio Jovem da Água de Estocolmo, está aberta até 20 de março a votação popular para selecionar o melhor trabalho brasileiro. Qualquer pessoa pode votar, acessando a página do prêmio no Brasil.
Os representantes do Brasil serão conhecidos na manhã da próxima quarta-feira (21), na Vila Cidadã do 8º Fórum Mundial da Água, em Brasília.
Edição: Lidia Neves